Categoria  ➤  

Direito

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Xeque-mate, descomplicando a Sucessão Empresarial por meio do Seguro de vida

Autor:

Tiago Melo

Preço:

R$ 100,00

Formato:

Digital (EPUB)

Data de publicação:

Julho, 2020

Xeque-mate, descomplicando a Sucessão Empresarial por meio do Seguro de vida

Autor:

Tiago Melo

Preço:

R$ 100,00

Formato:

Digital (EPUB)

Data de publicação:

Julho, 2020

Primeiro livro sobre sucessão empresarial é lançado no Brasil. No livro “Xeque-mate”, Tiago Melo descomplica a sucessão empresarial, o maior motivo para o fechamento de empresas familiares no Brasil. A porta de entrada para uma abordagem dentro de uma perspectiva inédita, transforma o livro como literatura pioneira no país. Essa é a definição de “Xeque-mate: Descomplicando a Sucessão Empresarial e Proteção Patrimonial por meio do Seguro de Vida”. A obra trata de temas que ainda são muito pouco discutidos na grande maioria das empresas familiares do Brasil, mas que são um dos maiores – quiçá o maior – motivos para o fim dos empreendimentos: a sucessão de empresas e proteção do patrimônio construído. A publicação do autor é independente e é dividida em 7 capítulos. Com vasta experiência no mercado securitário e financeiro, há 13 anos estudando o que leva a longevidade das empresas e patrimônios, Tiago mostra de forma simples, descomplicada e de fácil entendimento todos os trâmites a serem realizados para ter segurança na sucessão no comando do empreendimento e na proteção do patrimônio construído. “Não adianta só despejar conhecimento técnico nas pessoas, tem que entregar algo mais palatável. Advogado, contador, economista e empresário de qualquer setor pode ler e compreender o que está aqui. O livro foi escrito numa linguagem próxima que faz o leitor se sentir sentado no sofá tomando café com um especialista”, conta. No livro, Tiago Melo deposita suas experiências práticas vivenciadas com seus clientes e as opiniões de outros especialistas internacionais que utilizam essa ferramenta como principal meio de trabalho, além de construções lógicas e dinâmicas sobre o tema. “Há mais de treze anos, dedico-me a estudar essa temática, de forma comprometida e apaixonada, a qual exige estudo multidisciplinar para compreender os aspectos jurídicos, tributários, contábeis e econômicos que a envolvem, alinhando-se aos anseios das pessoas que buscam proteger e blindar ao máximo o patrimônio conquistado com muito trabalho e dedicação”, reforça. Utilizando exemplos cotidianos, o autor leva o leitor por meio do direito, da contabilidade e da economia para o altruísmo da ferramenta que é o seguro de vida na proteção do legado construído, um recurso empregado pelo homem desde 1300 e que considera como uma espécie de uma última carta de amor que uma pessoa pode deixar a seus herdeiros. Tiago mostra os caminhos que fazem as empresas americanas chegarem até a quinta geração, em média, enquanto no Brasil elas não chegam sequer na terceira linha sucessória. Tiago utiliza a metáfora do jogo de xadrez para falar sobre o assunto, alusão que dá o nome ao livro. “Quero metaforicamente utilizar essa relação para lhes apresentar um das mais estratégicas ferramentas quando se fala em sucessão empresarial e proteção patrimonial. No xadrez, precisamos de uma peça forte, aquela que dirá o andamento do jogo, aquela que pode ir a todas as direções, atendendo as mais diversas necessidades, nos mais valiosos contextos. No jogo da sucessão empresarial e resguardo patrimonial também tem uma “rainha” que eu conto detalhadamente no livro”, revela. A publicação apresenta um conceito próprio, o princípio da continuidade de um negócio. A inspiração vem de anos atrás, quando, após seu pai falecer, Tiago teve como inspiração um manual particular feito por seu pai, que era um renomado consultor na área, com anotações de conduta sucessória para seus clientes. Por isso, ele vê a obra como mais uma oportunidade de renda, mas sim a de transmitir um pouco do legado paternal. “Assim como no seguro, a minha essência é altruísta. Não estou preocupado com vendas, mas com o legado. Sobre o que deixar para a população”.